Paris, França

Grupo Tápias

 

Companhia de dança associada ao Dança em Trânsito.

DOBRAS (50MIN)

Rio de Janeiro – 10 AGOSTO às 20:30 | Casa França Brasil
Brasília – 14 AGOSTO às 19:00 | Caixa Cultural
Curitiba – 16 AGOSTO às 20:30 | Teatro Guairinha - CNETRO CULTURAL GUAÍRA

Inspirada no texto de Luís Serguilha (Portugal), Flávia Tápias busca para sua nova pesquisa coreográfica falar através da dança contemporânea sobre os desdobramentos de corpos com diferentes singularidades.

"...ver e deixar-se ver convergindo a um só-tempo em todas as superfícies do corpo onde o olhar se espiritualiza, potencializa se experimenta, se intensifica e cria potências afetivas"

Assim, a partir desta abordagem de Luís Serguilha, a coreógrafa continua sua pesquisa coreográfica sobre a temática do "encontro e sua potência" na qual vem trabalhando há alguns anos, dentro de suas criações.

Em paralelo ao texto, a antiga prática de origami também serviu de inspiração para a coreógrafa. Esta arte de dobradura está muito presente na dramaturgia do espetáculo, juntando poesia na expressão do corpo.

Inspired by the text by Luís Serguilha (Portugal), for her new choreographic research, Flávia Tápias seeks to express herself through contemporary dance about the ramification of bodies with different singularities;

“…to see and allow to be seen converging at once on all surfaces of the body where the look spiritualizes itself, strengthens, experiments, intensifies and creates emotional powers”

As such, with this approach by Luís Serguilha, the choreographer continues her research on the theme “the encounter and its strength” that she has been working on for some years in her creations.

Parallel to the text, the ancient practice of origami was also inspiration for the choreography. This folding art is very present in the dramaturgy of the performance, adding poetry to the body’s expression.

FICHA TÉCNICA

Direção e Coreografia | Director and Choreographer: Flávia Tápias
Assistente de direção | Assistant Director: Gaétan Jamard
Em colaboração com os intérpretes criadores | In collaboration with the creating peformers: 
Flávia Tápias(Brasil), Gaétan Jamard (França), Júlia Gil (Brasil), e Jeremy Kouyoumdjian (França). 
Anjo | Angel: Larissa Emi, Alexandre Bachelard et Marie Urvoy.
Desenho de Luz | Lighting design: Stephane Dornet
Figurino | Costumes: Flávia Tápias e Telma Souza de Britto
Coprodução Coproduction: Les Bords de Scènes
Apoio | Support: Centre Les Récollets, Paris.

Flávia Tápias é artista em residência para diversos projetos em 2017 no Les Bords de Scènes, França e no Dança em Trânsito, Brasil.

 

ouroboros (17MIN)

Capivari de Baixo – 29 julho às 16:00 | Parque Ambiental
Entre Rios do Sul – 31 julho às 19:00 | Centro de Cultura
Alto Bela Vista – 01 agosto às 19:00 | Centro de Cultura
Florianópolis – 03 agosto às 12:30 | UFSC
Rio de Janeiro – 12 agosto às 15:30 | Zona Portuária (Pier)
Curitiba – 15 AGOSTO às 18:00, Área externa Casa Hoffmann e extensão Largo da Ordem

Essa performance foi inspirada na obra da artista plástica Eva Clouard (França), intitulada “La Phobie du Jardinier”. Essa obra é formada por várias “serpentes” que foram criadas com mangueiras de água.

Ouroboros
 é um símbolo místico que costuma ser representado pelo círculo ou pela água. Ele representa o conceito da eternidade, através da figura de uma serpente (ou dragão) que morde a própria cauda. Com base na semiótica, a representação circular do ouroboros simboliza a constante evolução e movimento da vida, além de outros significados como a ressurreição, a criação, a destruição e a renovação.

This performance was inspired by the works of the artist Eva Clouard (France) entitled “La Phobie Du Jardinier”. The work is composed of various “serpents” created using water hoses.

Ouroboros is a mystic symbol that is usually represented by a circle or by water. It represents the concept of eternity by means of the figure of a serpent (or dragon) that bites its own tail. Based on semiotics, the circular representation of ouroboros symbolizes the constant evolution and movement of life in addition to other meanings such as resurrection, creation, destruction and renovation.

FICHA TÉCNICA

Direção e Coreografia: Flávia Tápias
Assistente de direção: Gaétan Jamard
Em colaboração com os intérpretes criadores:
Gaétan Jamard e Jeremy Kouyoumdjian
Coprodução: Les Bords de Scènes
Apoio: Le Festival Hors D’oeuvres, França

CREDITS

Director and Choreographer: Flávia Tápias
Assistant Director: Gaétan Jamard
In collaboration with the creating dancers:
Gaétan Jamard and Jeremy Kouyoumdjian
Coproduction: Les Bords de Scènes
Support: Le Festival Hors D’oeuvres, France