Suíça

Cia Jézsef Trefeli & Gábor Varga


JINX 103    

Rio de Janeiro
6 agosto às 11:00 | PAINEIRAS - Corcovado
7 agosto às 20:00 | Espaço Cultural a Maison
9 agosto às 19:00 | Casa França Brasil (varanda)

Um duo dinâmico entre dois dançarinos que misturam ritmos e rituais com a dança contemporânea e a percussão corporal para criar uma deliciosa dança musical.

Jozsef Trefeli e Gabor Varga levam a performance de dança para um espaço público, explorando juntos os ritmos e rituais da vida em uma performance cativante de alta energia. O encontro desses dois bailarinos homens, conectados por serem da Diáspora húngara, um nascido na Austrália e outro na URSS, deixa-os lado a lado à medida que se aprofundam na herança em comum. Eles se aproximam na dança, a forma de arte que compartilham, embora tenham a aprendido em lados opostos da terra.

Através de um vocabulário de percussão corporal vibrante, onde até mesmo os ritmos mais básicos são extremamente complexos, com palmas, estalar de dedos e pés batendo no chão, eles criam uma dança energética de perder o fôlego, com pés rápidos como raios, pernas entrelaçadas como um tecido, altos chutes e saltos giratórios.

Por que o JINX 103? Em muitas línguas, quando duas pessoas acidentalmente dizem a mesma coisa ao mesmo tempo, há uma palavra que deve ser dita rapidamente para afastar a má sorte: os franceses dizem “chips”, os ingleses dizem “jinx” (azar) e os húngaros dizem “103”.

FICHA TÉCNICA

Coreografia: József Trefeli, Gábor Varga

Dança: József Trefeli, Gábor Varga ou Gyula Cserepes

Música: Fred Jarabo

Administração: Capela Laure, Produção Paquis

Gestão de turnê e promoção: Lilla Eredics

 

A dynamic duo between two male dancers who mix up rhythms and rituals with contemporary dance and body percussion to create a musical dance delight.

Jozsef Trefeli and Gabor Varga take a dance performance to a public space, exploring together the rhythms and rituals of life in a high energy, captivating performance.

This meeting of two male dancers connected by being from the Hungarian Diaspora, one born in Australia and the other in the USSR, brings them shoulder to shoulder as they delve into their common heritage. They come together in dance, the art form they share, even though it was learnt on opposite sides of the globe.

Through their common vocabulary of vibrant body percussion where even the most basic rhythms are extremely complex, with clapping and slapping, clicking and stamping, they create a breathtakingly energetic dance of lightning fast footwork, leg twisting and weaving, high kicks and turning jumps.

Why JINX 103? In many languages when two people accidentally say the same thing simultaneously, there is a word that must be quickly said to ward off bad luck: the French say “chips”, the English say “jinx” and the Hungarians say “103”.

 

CREDITS
Choreography: József Trefeli, Gábor Varga
Dance: József Trefeli, Gábor Varga ou Gyula Cserepes
Music: Fred Jarabo
Administration: Laure Chapel, Paquis Production
Tour management and promotion: Lilla Eredics, full length video on demand diffusion@jozseftrefeli.org
Photo: Gregory Batardon